kaiunionbrasil.com / fanbase brasileira dedicada a kim jongin

Kai do EXO: uma estrela nascida no Ano do Galo

“Ultimamente, minha paixão está queimando como um galo de briga. O ano do galo, pois será o meu ano.”

O ano de 2016 foi um ano de arrependimentos em vários aspectos para Kai, que é a primeira escolha para o ‘dançarino’ do grupo top da nação: EXO. O time teve sucesso como esperado, mas (Kai) pessoalmente não pode se comprometer as atividades por ter lesionado seu tornozelo duas vezes e ter se dedicado ao tratamento da reabilitação por 4 meses. Essa pode ser a razão para o rapaz que nasceu ‘no ano do galo’ ter uma determinação diferente para encarar o ano de 2017. Num encontro recente (com Kai), ele estava antecipando muito pelo ano do galo como um galo de briga que eleva sua crista.

As atividades do EXO em 2016 foram maravilhosas.

“Pessoalmente, foi um ano que me fez sentir muito arrependimento. Eu gosto do fato de que as atividades individuais dos membros aumentaram, dando a eles mais oportunidades de demonstrarem seus próprios charmes e talentos, mas por causa disso, as atividades do grupo como um todo diminuíram um pouco. Isso significa que as chances de encontrar diretamente nossos fãs foram pequenas. Nossos (números de) fansigns também diminuíram comparados ao ano de 2015. Independentemente se a nossa música se tornar um hit ou não, fazer muitas atividades e ter tempo para nos comunicar com os fãs e estar no palco como um grupo com maior frequência é um desejo pessoal.

2016 talvez tenha sido diferente para cada membro. Tiveram membros que atuaram ou tiveram atividades com unit e também tiveram membros que passaram o tempo praticando para desenvolver e aperfeiçoar suas habilidades. Cada membro pode ser capaz de olhar para si próprio através de suas próprias posições. E acho que 2016 foi um ano que nos possibilitou pensar sobre o que cada um fez de bom e o que mais nós devemos fazer.”

EXO, incluindo Kai, alcançou resultados de sucesso mais do que qualquer um tendo como base seu forte fandom. O terceiro álbum completo que foi lançado em junho estabeleceu um novo recorde, fazendo do grupo um artista que vendeu mais de três milhões de cópias, seguindo os dois álbuns completos já lançados. E eles também varreram os charts musicais e receberam muito suporte e apoio pela faixa “Dancing King”, resultante de uma colaboração com Yoo Jae Suk. Além das atividades de grupo, as atividades solo e de unit também foram vívidas, com o lançamento do álbum solo ‘Lose Control’ do membro chinês Lay e também da unit EXO-CBX (ChenBaekXi) ganhando a atenção do público. D.O. também obteve um dos papéis principais no filme ‘Hyung’. EXO também lançou o álbum especial de inverno ‘For Life’ em dezembro, demonstrando o trabalho duro do grupo. Entretanto, também foi um ano que deixou arrependimentos para Kai, pessoalmente. Já que ele teve de se dedicar por 4 meses a reabilitação devido a lesões consecutivas num mesmo tornozelo, e por ter mostrado aos fãs uma imagem sua sentado numa cadeira de rodas.

Que tipo de ano foi 2016 para Kai?

“Pessoalmente, foi um ano que deixou arrependimentos. Eu também apareci para os fãs me locomovendo (para um compromisso) numa cadeira de rodas devido a uma lesão ‘feia’ no tornozelo. Também não pude dançar, o que eu gosto (tanto) de fazer, pois tinha que permanecer apenas no tratamento da reabilitação. Me estressei muito por ficar preocupado em me machucar novamente. Esse deve ser o motivo pelo qual deixei o meu “eu recuperado” ‘pegar fogo’ no final de 2016. Eu estou praticando no mínimo por 8 horas e me preparando como um galo de briga. Estou me antecipando por esse ano. O ano do galo, pois é o meu ano.”

Se você pudesse escolher o seu momento favorito após o debut do EXO.

“Não acho que posso escolher apenas um. Primeiramente, eu lembro da data do showcase de debut: 31 de março de 2012. Não havia um motivo para mostrar minhas performances para outras pessoas antes disso e verdadeiramente foi minha primeira experiência no palco. A animação da audiência, o tremor que senti. Não acho que serei capaz de simplesmente esquecer isso. Estava realmente muito nervoso antes de subir no palco, mas assim que entrei eu comecei a sorrir e rir enquanto aguardava a música começar. Estava tão animado que não consegui dançar de maneira que ficasse satisfeito.

Também lembro de maio de 2012, o Dream Concert que participamos logo após nosso debut. Foi no Seoul World Cup Stadium e cantamos ‘Sorry Sorry’ dos sunbaes do Super Junior na época. Todos os membros estavam muito, muito nervosos, por ser um palco tão grande. Antes de subirmos no palco, todos os membros se reuniram, gritando algo, nos agitando e dando força um ao outro. Então acho que naquele momento, todos os membros estavam felizes e cheios de um espírito de garra antes de entrarmos em cena. Quando conversamos, frequentemente nos lembramos dessa ocasião. Receber um Daesang em premiações musicais também é sempre emocionante.”

Qual foi o momento de maior arrependimento ou dificuldade até agora.

“Foi realmente muito difícil quando lesionei meu tornozelo pela segunda vez. Fiquei de repouso por 4-5 meses. Não foi fácil escapar do desânimo profundo e tristeza. E não faz tanto tempo que lutei contra esses sentimentos. Sou normalmente uma pessoa que pratica diligentemente e sou feliz dançando: aproveito estar no palco mais do que ninguém, mas por ter lesionado meu tornozelo, não pude dançar ou fazer o que queria fazer. Eu tive um abatimento súbito.

Meu corpo se recuperou, mas não está 100% ainda. Até um tempo atrás, eu ainda tinha a preocupação/peso de me machucar novamente. Também tenho a preocupação do que posso fazer bem. Acho que num certo ponto o estresse se acumulou devido ter ficado ‘parado’ por tanto tempo. Eu tenho que dançar de maneira feliz, mesmo que esteja só praticando. Mas percebi que de fato não estava praticando e sim descansando com maior frequência mesmo depois de me recuperar. Portanto comecei a pensar no que estava fazendo e não conseguia ficar satisfeito ao ver minhas performances. Devo dizer que era como se os fogos de artifício dentro de mim estivessem ficando menores?

Mais ou menos entre setembro e outubro fiz uma promessa que não poderia ficar daquele jeito. Agora, nos dias que não tenho compromissos, meu dia consiste em somente praticar. 5 horas de prática de dança, 2-3 horas de aulas de atuação/teatro, 3 horas de aula de canto e quando termino tudo já são normalmente 2 horas da manhã. Eu realmente estou antecipando por esse ano. Ainda acho que pessoalmente meio que perdi meu jeito no palco. Mas estou antecipando por um ‘eu’ mais aperfeiçoado (um Kai que estará de volta ao normal de 100% de força, se não melhor).”


Fonte: Naver
Trad. ING: ctrIbeat
Trad. PT-BR: Carou @ Kai Union Brasil
Não retirar sem os créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *