kaiunionbrasil.com / fanbase brasileira dedicada a kim jongin

KAI foi o escolhido para estar na edição comemorativa de 7 anos da revista NYLON na Coreia. De início, essa edição contaria com 2 capas, porém devido a problemas de produção, apenas uma foi disponibilizada. De qualquer maneira, Jongin está mais maravilhoso do que nunca, e cedeu uma entrevista para lá de longa e reveladora à revista, a qual você confere a tradução em seguida:

 

P: Há algum obstáculo que você precise enfrentar agora?
R: Eu sempre tenho que me superar. O meu eu de ontem, não importa se coisas boas aconteceram, eu esqueço elas e quero
fazer coisas boas novamente. Ao invés de retornos materiais ou físicos, eu quero passar um tempo me aceitando e me entendendo (conhecendo a si próprio). As atividades (da agenda) são divertidas e me deixam feliz, mas eu também fico feliz ao me ver crescendo, dia após dia. Eu gostaria que o meu eu de hoje cantasse e dançasse melhor que o meu eu de ontem.

 

P: Há alguma imagem (criar alguma impressão) que você queira tentar hoje?
R: Eu realmente gosto de fazer photoshoots. Não há nenhuma ‘imagem’ em particular que eu queira fazer, mas apenas pensei que tenho que me divertir enquanto tiro as fotos. Eu gosto da diversidade de conceitos e gosto de qualquer foto que precise ser tirada, então eu quero fazer uma variedade de sessões (de fotos). Não muitos photoshoots em um ano, mas eu acho que seria legal manter um registro através dos photoshoots, algo como “o Kai de 22 anos”, “o Kai de 23 anos”, ou capturar o meu dia-a-dia como um photoshoot.

 

P: Você tem alguém que admira/respeita? Há alguém que você se inspira para ser no futuro?
R: Eu nunca pensei sobre isso. Eu gosto de estar confortável, esse é o Kai, amo ser eu mesmo. Porque eu sempre posso fazer coisas fortes e intensas no palco.

 

P: Você gostaria de ser o Kai mesmo que nascesse novamente?
R: Sim, porque é interessante de uma maneira divertida. Quando eu era mais novo e aprendi ballet, eu aspirava a ser um bailarino. Porém eu ainda quero ser o Kai, e nascer e viver como um Kai melhor.

 

P: Já que você está sozinho, deveríamos elogiar os outros membros ou
falar mal deles?
R: Meu primeiro pensamento foi: “isto será divertido!”, comparado aos photoshoots caóticos e barulhentos que tenho com os membros. Posar sozinho foi confortável, mas por outro lado eu senti falta do caos barulhento e rapidamente comecei a sentir saudades dos membros.

 

P: O que você observa com frequência e do que você ganha influência?
R: Eu não discrimino e pego influências de muitas coisas. Até de, simplesmente, passar por um rio. Agora mesmo, quando eu estava me trocando durante a sessão de fotos, minha máscara caiu. Eu pensei em muitas coisas só por conta disso. Eu considero valioso pensamentos quando eu estou ouvindo música ou quando eu estou sozinho.

 

P: Você assiste filmes e lê frequentemente?
R: Eu leio principalmente ‘novelas’ fictícias, mas não livros de auto-ajuda. Eles são tediosos. Eu gosto da diversão de ‘imaginar’
quando estou lendo uma ficção. Quando você assiste filmes, você vê a história e o que está pré-planejado visualmente, mas você pode imaginar enquanto lê livros. Mesmo se os mesmos personagens estiverem retratados no livro, eu gosto que cada leitor tenha uma impressão diferente. Acho que esse é o motivo pelo qual eu leio tantos livros, especialmente os de mistério, fantasia e de personagens atarefados. Eu irei assistir qualquer filme também, mas não assisto romances nem melodramas.

 

P: Há alguma razão especial (do porque de não assistir melodramas)?
R: Eu não posso assisti-los. (risos) Eles são tediosos. Eu fico sonolento. Mas não importa o filme que eu assista, sempre há algo para se aprender/ganhar. Quando olho para as roupas dos tempos medievais, eu relaciono isso as roupas que uso nos palcos. Ou quando vejo uma situação ou posição que o personagem se encontra; eu ganho influência e inspiração para tentar e fazer uma coreografia.

 

P: E sobre as estações e o tempo? (Eles influenciam em algo?)
R: Sim. Não há muita diferença porque eu não tenho uma variação de humor e emoções, tipicamente. Eu gosto mais do inverno do que do verão.

 

P: Porque você gosta mais do inverno?
R: Eu nasci em janeiro. Já que no inverno é frio, você usa uma camada de roupas. E ali está aquela sensação quentinha. Uma sensação diferente da que você sente nos dias de calor. Eu gosto de ver as pessoas nas ruas vestindo roupas que os aqueçam.

 

P: As pessoas não te dizem frequentemente que você maduro?
R: Eu ouço isso frequentemente. Eu gosto de sair com amigos que tem a minha idade, mas porque eu comecei a treinar bem jovem, eu acho que há mais coisas que eu aprendi com amigos da minha idade, mas isso não significa que irei forçar os meus pensamentos sobre eles, ou tenho alguma razão para dizer “você tem que fazer isso desse jeito” ou “esse é o caminho certo”.

 

P: Mas nem todo mundo que vive uma vida em grupo amadurece/cresce.
R: Eu fui uma criança muito quieta. Eu não falava muito, mas quando entrei na companhia, eu me tornei ‘mais brilhante’. Tinham muitos amigos divertidos e pessoas ao meu redor, então eu compartilhei histórias e conversei com eles para me entrosar, então minha personalidade mudou. Ainda tenho uma grande sensibilidade, ainda me sinto culpado e penso muito até o ponto que em alguns dias não consigo dormir.

 

P: Em que dias você não consegue dormir?
R: Quando erro nas coreografias em eventos importantes, eu continuo me culpando (sentindo-se culpado). E em algum ponto, eu esqueço isso e caio em pensamentos profundos sobre outra coisa. “Porque eu nasci?”; na escola primária, vendo o mundo através de meus olhos era fascinante. Na escola secundária, eu pensava “dentre tantas pessoas, não essa ou aquela pessoa, mas porque eu?”, “porque estou vendo o mundo através desses (dos meus) olhos?”. No ensino médio, eu pensava “não há uma razão para eu ter nascido?”, e agora eu estou absorto com pensamento de; porque estou dançando, porque estou cantando. Acho que esses pensamentos é que ‘mordem minha cauda’ e me mantém acordado a noite.

 

P: “Você é sexy” é outra coisa que você escuta frequentemente?
R: Surpreendemente, atualmente eu escuto as pessoas dizendo que sou brilhante? E bom. Não porque eu sou realmente bom, mas porque eu pareço ser feroz e frio, mas quando as pessoas me conhecem (não superficialmente, mas sim verdadeiramente) sabem que eu não sou assim. As pessoas não me dizem diretamente que sou sexy, mas eu acho que isso é uma coisa boa de se escutar.

 

P: Quão parecido e diferente é a imagem que você tem de si próprio e a imagem que as pessoas tem de você?
R: Toda pessoa tem uma visão diferente. Alguns veem a minha dança, outros focam nas minhas emoções e outros focam na minha força. Eu quero ser o Kai que todos pensam sobre. Eu quero deixar livremente os pensamentos daqueles que me assistem.

 

P: Há algo inesperado a seu respeito que queira compartilhar?
R: Eu sou relaxado. Perco minhas coisas frequentemente e quando como, derramo comida no meu queixo como se tivesse um buraco ali. Eu tenho um instinto para piadas/ser engraçado. Eu faço as pessoas rirem forçando-as a usar palavras que não fazem sentido em uma situação ridícula. Isso vem naturalmente com pessoas que sou próximo também. Eu não posso fazer isso quando alguém me força.

 

P: Parece que o Kai sempre está pensando sobre estar no palco, mesmo não estando no palco.
R: Eu fico estressado porque penso muito sobre isso. Quanto mais eu penso, mais fico insatisfeito e vou extravasar. E então eu digo para eu mesmo não me preocupar e dançar e cantar sem nenhum pensamento. Eu não posso bagunçar as coisas. Há um tempo atrás eu costumava a fazer estritamente e prestar atenção em cada pequena coisa. Agora que eu não penso (tanto) e apenas me divirto, acho que as coisas funcionam melhor.

 

P: O palco sempre parece algo novo? Ou agora é um lugar completamente familiar?
R: Ambos. Geralmente, eu me sinto confortável e livre no palco. Mas mexer o meu corpo é a parte confortável, pois as emoções eu sinto como se fossem novas toda vez que subo no palco. Há uma coreografia que eu danço alegremente e me divirto e tem uma coreografia que eu danço para transmitir uma mensagem/sentimentos.

 

P: A dança de Kai parece especial, porque parece que há algo que você quer passar (para a audiência).
R: Para as performances do concerto, eu considero o humor e as letras das músicas e para as minhas performances solo (de dança), eu coloco as minhas próprias emoções. As ‘title tracks’ (singles promocionais dos álbuns), tem sua própria coreografia e cada um tem o seu “par” (ex. playboy – mesmo não sendo um single -, onde Sehun e Kai dançam juntos).
Se há uma importância para a letra, não há limitações nas performances solos. Se é triste, a dança fica triste. Se é triste, mas você dança de um jeito que faz te sentir bem, então as pessoas que assistem irão receber a emoção e irão se sentir bem também.

 

P: Deve ser o controle e comando do palco.
R: Dançar é divertido porque é como uma boa monstagem de um quebra-cabeça. Você não dança simplesmente porque memoriza a coreografia, mas sim porque há uma razão por trás de cada elevação e queda do seu braço.
É provavalmente porque eu penso dessa forma.

 

P: Você tem a ambição de aprender/conhecer todos os tipos de dança?
R: Eu não quero dançar com o coração de ‘apenas ganhar conhecimento’. Mas seria legal estar disponível para aprender um pouco de cada gênero da dança como uma ferramenta se você quer expressar algo.

 

P: Você também assiste outras performances de outros artistas?
R: Eu não muito tempo. Mas quando eu eramais novo, eu via muitas apresentações de ballet.

 

P: Há o YouTube.
R: Sim. Eu assisto no YouTube. Eu realmente acesso o YouTube todos os dias. Não só vídeos sobre dança, mas também vídeos divertidos. Eu assisto um grande número de vídeos de dança. Não somente de dançarinos famosos, mas também de pequenas performances, musicais e cenas de dança de filmes antigos, como “Singing in the Rain”. Eu gosto de vídeos de estrangeiros fazendo danças engraçadas e vídeos de canto.

 

P: Estou curioso a respeito da sua playlist de música.
R: Eu escuto as músicas do EXO, haha. Ultimamente, eu tenho praticado muito (cantar). No mês passado, eu estava escutando muitas músicas de artistas coreanos. As músicas de G.Soul, Na Yoon Kwon e Kim Yeon Woo sunbaenim’s. Eu sempre irei gostar de John Legend, Travis Garland e Boys II Men.

 

P: Há algum período que os seus interesses na música aumenta em relação a dança?
R: Recentemente eu comprei placas de som e um microfone no Nakwon Shopping* e agora estou gravando usando o Logic (um software de áudio, onde é possível editar e gravar). Não posso fazer canções perfeitas ainda, apenas ajusto minha voz para soar melhor (mais bonita) e faço a checagem de volume. Eu estou me divertindo com isso, é como um jogo mas sem a parte de ficar estressado.

 

*Nakwon é conhecido por reunir o maior número de lojas de instrumentos e equipamentos de som.

 

P: Seu aniversário é no dia 14 (de janeiro), você sabe que dia é esse?
R: Dia normal? Eu não faço ideia. “White day” ou algo assim? Dia dos
namorados. Eu nunca celebrei coisas assim. Nunca tentei.

 

P: Você tende a não celebrar dias importantes/aniversários?
R: Se alguém se lembra do meu aniversário, tento ficar atento para lembrar
o aniversário dessa pessoa também. Está tudo bem se eles não se importarem
pelo meu aniversário. Eu não acho que isso seja realmente importante.

 

P: O que você faz no seu aniversário?
R: Depois que debutei, eu estive trabalhando todos os dias, haha.

 

P: Ultimamente, qual o lugar que você quer ir?
R: Originalmente, não não tínhamos agenda entre os dias 1º de agosto e 11 de agosto. Eu iria para a Polônia. Eu percebi que todos os dançarinos famosos vão pra lá e performam. Eu pensei que poderia fazer algum workshop de dança, mas acabei estando impossibilitado de ir.

 

P: Seria melhor ir (viajar) com a família ou com os amigos?
R: Eu gostaria de ambos. Acho que seria divertido com os amigos e confortável com a família. Acho que irei em ‘lugares típicos de férias com minha família e a lugares divertidos com meus amigos. Seria legal ir a uma casa abandonada e ter uma experiência assustadora.

 

Via: KaiiWorld @ Twitter
Trad. KOR-ENG: aiolosh @ Twitter
Trad. PT-BR: Kai Union Brasil

 

Não retirar sem os créditos

 

Há 1 ano, o editor chefe da Nylon Magazine escolheu GD para ser a capa da edição comemorativa de aniversário (6º ano) e, este ano, escolheu KAI como a celebridade de capa do 7º aniversário da revista. Mais orgulhosa, ela disse: “Eu estou esperando o debut solo de KAI” e o chamou de KAIchael Jackson (KAI+Michael Jackson)

 

11911523_842309799210213_2043383441_n

 

E, como sempre, nosso Jongin está deslumbrante nas fotos da revista, as quais você confere nos links abaixo:

Clique aqui para acessar as scans em nossa galeria!

Clique aqui para visualizar as scans em nosso álbum do facebook!

Clique aqui para fazer o download de todas as scans disponíveis!
 

Como prometido, a revista NYLON (em sua publicação coreana), lançou o vídeo mostrando os bastidores de seu photoshoot com KAI:

 

Clique aqui para fazer download do vídeo.

 

Vale lembrar que Jongin não cede uma entrevista tão grande assim desde a The Celebrity! Espero que vocês possam amar o nosso Nini cada vez mais através de sua imagem, mas também de suas palavras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *